segunda-feira, 24 de dezembro de 2012

Uma Festa de Aniversário Diferente



O aniversariante chegou em sua festa de aniversário e apesar de não ser uma festa surpresa, as comemorações já estavam acontecendo.

Havia muita comida, bebida, alegria, conversas e até mesmo a entrega de presentes já havia começado.
Só que começou a notar que ele mesmo não estava sendo aguardado.

- Tanto quanto eu saiba eu sou o aniversariante, logo creio que essa festa seja pra mim, pensou.

Mas não, a comilança havia começado, e mais do que isso, os presentes já estavam sendo entregues. Porém, ele notou algo diferente: os presentes estavam sendo distribuídos entre os participantes da festa, e nenhum era para ele, o aniversariante.

- Estranho, ele continuou imaginando. Em qualquer outra festa de aniversário, é sempre o aniversariante que ganha os presentes.

Inconformado com o fato de estar sendo ignorado, resolveu perguntar aos participantes para quem aquela festa era destinada.

- É Natal, respondeu um deles.
- Não sei, disse outro, acrescentando que apenas sabia que aquela era uma época festiva.
- O importante é que é feriado, e a gente come muito.
- E o mais legal é que eu ganho muitos presentes, disse uma criança empolgada com muitos embrulhos para abrir.

Percebendo que a maioria não sabia a razão real daquela festividade toda, ele decidiu deixar a festa e permitir que os participantes continuassem se alegrando.

Mas ao sair sem dizer nada, ficou a pensar que o lugar onde as festas eram realizadas, os alimentos que alegravam a todos, o dinheiro que comprou todos aqueles presentes, e até mesmo as pessoas que participavam daquela festa, só existiam por sua causa.

A razão para tanta comemoração era o seu nascimento, e todas estas coisas se tornaram possíveis por sua existencia. 

Festejar é bom, alegrar-se é melhor ainda, ganhar presentes é maravilhoso, porém tente lembrar e convidar para sua festa, o Aniversariante.

Ele não se importa que você faça troca de presentes, Ele gosta da festividade, Ele aprova a alegria e Ele também se alegra com você.

A única coisa que Ele quer é que você não esqueça que Ele é a razão verdadeira de você estar comemorando!

Por Reinaldo Mendes

quinta-feira, 22 de novembro de 2012

Esvaziando-nos de Nós Mesmos


"De sorte que haja em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus, que, sendo em forma de Deus, não teve por usurpação ser igual a Deus. Mas aniquilou-se a si mesmo, tomando a forma de servo, fazendo-se semelhante aos homens; e, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até à morte e morte de cruz. Pelo que também Deus o exaltou soberanamente e lhe deu um nome que é sobre todo o nome" Filipenses 2.5-9

Vemos, nessa passagem, que o mesmo sentimento que houve em Jesus tem de haver em nós. Ele, o Filho de Deus, digno de honra, poder e graça, esvaziou-Se de Si mesmo por obediência ao Pai.

Temo-nos esvaziado de nós mesmos? Do nosso ego, dos sentimentos que nos afastam de Deus, do egoísmo, da preguiça e de tantas outras coisas? Estamos nos esvaziando de tudo o que é mau? Somente quando agirmos dessa forma poderemos dizer que servimos a Deus e O amamos, pois, quem ama obedece, assim como Jesus fez.

Quebrante seu coração, jejue, ore sem cessar, seja fiel aos compromissos na casa de Deus e agrade ao Pai. Assim como Jesus recebeu grande recompensa, ganharemos a nossa ao herdarmos o Reino do nosso amado e querido Pai.

"Então dirá o Rei aos que estiverem à sua direita: Vinde, benditos de meu Pai. Possuí por herança o reino que vos está preparado desde a fundação do mundo" (Mateus 25:34).
Por Serikako Hiroshi

quarta-feira, 21 de novembro de 2012

Testemunho de Fé: Síndrome de Angelman

A Síndrome de Angelman foi descoberta pelo Dr. Harry Angelman pela primeira vez em 1965. Entre seus sintomas estão a incapacidade de falar, a hiperatividade, distúrbios no sono, convulsões, movimentos desconexos e em alguns casos, sorriso frequente. Como muitas outras doenças, é incurável, e pior, não possui tratamento - somente pode-se amenizar seus sintomas por meio de supervisão clínica.

Mas para o Deus dos impossíveis, todos estes argumentos são inválidos. Veja o vídeo abaixo:



Por Gabriel Ferraz

quarta-feira, 14 de novembro de 2012

Uma Análise Sobre o Filme "Três Histórias, Um Destino"


O que caracteriza o sucesso no cinema? Rendas milionárias, atores mundialmente famosos, histórias de ação eletrizantes, assustadoras ou apaixonantes? Ou ainda um diretor famoso, um estúdio renomado, ou quem sabe até uma história baseada em fatos reais...

Muitos podem ser os motivos para o sucesso cinematográfico, mas nenhum deles acima citados possuem o que o filme Três histórias, um Destino tem.

Titanic, Avatar, Senhor dos Anéis, Piratas do Caribe e Batman somam juntos mais de 15 bilhões de dólares de bilheteria, mas falta a eles um importante aspecto...

Nomes famosos impulsionam os filmes, porém Tom Cruise, Leonardo DiCaprio, Will Smith, Julia Roberts, Cameron Diaz, Sandra Bullock ou Angelina Jolie deixaram de conseguir algo...

Nas histórias de ação, como Os Vingadores, 007, Batman ou O Gladiador, você sairá empolgado do cinema, mas ainda assim, estará faltando algo...

Podemos também citar os filmes de terror, ou ainda os românticos. Ah, quantos roteiros apaixonantes para os casais. Porém, eles ainda não têm o que oferecemos. Será que dinheiro, fama e reconhecimento não bastam para obter o sucesso?

É claro que sim, e todos os filmes citados e muitos outros alcançaram um sucesso estrondoso. Mas, existe algo que o filme Três histórias, um Destino oferece e os outros não. A renda ainda está longe das mais vultosas, os atores mais famosos não atuaram nele, o diretor Steven Spielberg estava ocupado dirigindo outro filme, e os estúdios mais famosos como Warner, Paramount ou Universal deram preferência a algo mais popular...

Então, qual é a diferença? O que esse filme oferece?
Todos esses filmes têm histórias, uma ou mais. O nosso tem três. 

Mas o mais importante: não são somente as histórias, mas sim o destino. O destino que os nossos personagens tomaram, e o destino que o expectador pode escolher após assistir ao filme.

Num filme romântico, a plateia se emociona, num filme de ação todos saem eletrizados, ou mesmo aterrorizados em um filme de terror. Essa plateia suspira, grita, xinga, ou até mesmo briga.

Após o término do Três histórias, um Destino, a plateia aplaudiu de pé, se emocionou, e muitos dos presentes até choraram. Mas, ainda não é sobre esse sucesso que estamos falando.

Apesar do grande número de telespectadores, mais de 80 mil só na primeira semana, e obtendo o primeiro lugar na média de público por sala de cinema – mais até do que o novo filme do 007 – o maior sucesso talvez não seja mensurado pelas estatísticas cinematográficas. Sabe por quê?

Ainda não tivemos ou sequer teremos uma renda de 1 bilhão de dólares, não alcançaremos a marca de 1 milhão de espectadores, ou ainda, o filme não foi exibido em 1000 salas de cinema. Mas, se apenas uma vida se entregar a Jesus, esse terá sido o verdadeiro sucesso. O grande sucesso e a maior garantia de êxito ocorrem quando apenas uma vida se entrega a Deus. E isso, somente nós, pelo poder de Jesus, podemos reivindicar.

Três histórias, um Destino; o filme que pode te levar até Jesus!
Por Reinaldo Mendes

quarta-feira, 31 de outubro de 2012

Deus, Fala Comigo?!


Era uma vez um homem que ousou falar com Deus.
- "Deus, queima a sarça como queimaste para Moisés, e te obedecerei."
- "Deus, derruba os muros como derrubaste para Josué, e eu lutarei."
- "Acalma as ondas como fizeste na Galiléia, e eu te ouvirei."

Então o homem sentou-se perto da sarça, ao lado do muro, junto ao mar e esperou Deus falar.

E Deus ouviu o homem, portanto o respondeu:
- "Eu enviei fogo, não para a sarça, mas para a igreja."
- "Eu derrubei um muro, não de tijolos, mas de pecados."
- "Eu acalmei uma tempestade, não no mar, mas na alma."

E Deus esperou a resposta do homem.
E esperou… E esperou… E esperou…

Mas o homem via sarças, não corações. Via tijolos e
não vidas, via mares e não almas; então ele entendeu que Deus nada fizera.

Por fim, olhou para Deus, e perguntou: "Perdeste o poder?!"

E Deus olhou para ele e disse: "Perdeste a audição?!"
Por Max Lucado
Do livro Ouvindo Deus na Tormenta , CPAD

quinta-feira, 11 de outubro de 2012

A Prisão do Querer


Venha comigo à prisão mais populosa do mundo. A instituição que têm mais ocupantes que beliches, mais prisioneiros que pratos. Mais residentes que recursos.

Venha comigo à prisão mais opressiva do mundo. Apenas pergunte aos ocupantes; eles lhe dirão. Eles estão extenuados e subnutridos. Suas paredes são nuas, e as beliches, duras.

Nenhuma prisão é tão populosa, nenhuma é tão opressiva, e, além disso, nenhuma é tão permanente. A maioria dos ocupantes nunca sai. Eles nunca escapam. Nunca são soltos. Eles cumprem uma sentença de vida nesta abarrotada e mal-provida instituição. 

O nome da prisão? Você o verá na entrada. Em forma de arco-íris, acima do portão, seis letras em ferro fundido expressam-lhe o nome: QUERER.

A prisão do querer. Você tem visto seus prisioneiros. Eles estão "em querer". Eles querem alguma coisa. Querem algo maior. Mais bonito. Mais rápido. Mais magro. 

Eles querem. Eles não querem muito, apenas uma coisa. Talvez um novo emprego. Um novo carro. Uma nova casa. Um novo cônjuge. Eles não querem muito. Querem apenas "uma" coisa.

E quando eles tiverem "uma", serão felizes. E eles estão certos – eles serão felizes. Quando eles tiverem "uma", sairão da prisão. Então acontece. O cheiro de carro novo passa. O novo emprego fica velho. O vizinho compra uma televisão maior. O novo cônjuge possui maus hábitos. As expectativas passam, e antes que se perceba, outro ex-condenado quebra a liberdade condicional e retorna à cadeia.

Você está na prisão se você se sente melhor quando tem mais. E pior, quando tem menos. Se o contentamento é uma libertação remota, uma transferência distante, um prêmio ao longe ou uma renovação afastada. Se a sua felicidade vem de algo que você deposita, dirige, bebe ou digere, encare os fatos – você está na prisão, a prisão do querer.

 Esta é a má notícia! A boa é: você tem uma visita. E a sua visita tem a mensagem que pode colocá-lo em liberdade. Percorra o caminho até a recepção; sente-se em sua cadeira, e olhe através da mesa para o salmista Davi. Ele acena para que você se incline à frente. "Tenho um segredo para você", cochicha ele, "o segredo da satisfação: O Senhor é o meu pastor; nada me faltará (Salmo 23:1)".

Davi encontrou a pastagem onde os descontentes vão morrer. É como se ele estivesse dizendo: "O que tenho em Deus é maior que o que não tenho na vida".

Acha que você e eu poderíamos aprender a dizer o mesmo?

Pense por um momento nas coisas que você possui. Pense na casa que você tem, no carro que você dirige, no dinheiro que você guardou. Pense nas jóias que você herdou, nas ações que você negociou e nas roupas que você comprou. Visualize todos os seus bens, e então deixe-me dizer-lhe duas verdades bíblicas:
Seus bens não são seus. Pergunte a qualquer juiz investigador de mortes suspeitas. Pergunte a qualquer embalsamador. Pergunte a qualquer diretor de casa funerária. Ninguém leva nada consigo. Quando John D. Rockefeller, um dos homens mais ricos da história, morreu, seu contador foi interrogado: "Quanto John D. deixou? O contador respondeu: "Tudo!"

"Como saiu do ventre de sua mãe, assim nu voltará, indo-se como veio; e nada tomará do seu trabalho que possa levar na sua mão" (Eclesiastes 5:15).

De todos estes bens nada é seu. E sabe o que mais sobre estes bens? Eles não são você. Quem você é não tem nada a ver com as roupas que você usa ou com o carro que você dirige. Jesus avisou: "A vida de qualquer não consiste na abundância do que possui" (Lucas 12:15). Deus não conhece você como o companheiro com o terno elegante, ou a mulher com a casa grande, ou a criança com a bicicleta nova. Deus conhece o seu coração. "O Senhor não vê como vê o homem. Pois o homem vê o que está diante dos olhos, porém o Senhor olha para o coração" (I Samuel 16.7). 

Quando Deus considera sobre você, Ele pode ver sua compaixão, sua devoção, sua brandura, ou agudeza mental, mas não pensa em suas coisas. E quando você reflete sobre si, deveria fazer o mesmo. Defina a si mesmo pelo que possui, e se sentirá bem quando tiver muito, e mal, quando não tiver. O contentamento vem quando podemos, honestamente, dizer como Paulo: "Já aprendi a contentar-me com o que tenho [...] Estou instruído, tanto a ter fartura como a ter fome, tanto a ter abundância quanto a padecer necessidade" (Filipenses 4.11,12).

Doug Mcknight podia dizer estas palavras. Aos trinta e dois anos, ele recebeu o diagnóstico de esclerose múltipla. Pelos próximos dezesseis anos, isto lhe custaria a sua carreira, a sua mobilidade, e eventualmente a sua vida. Por causa da doença, ele não podia alimentar-se sozinho ou andar; ele combateu a depressão e o medo.

Contudo, do começo ao fim, Doug nunca perdeu o seu senso de gratidão. A evidência disto via-se em sua lista de oração. Amigos de sua congregação pediram-lhe para compilar uma lista de pedidos, e assim poderem orar por ele. Sua resposta incluía dezoito bênçãos pelas quais agradecer, e seis assuntos pelos quais orar. Suas bênçãos excediam três vezes a suas necessidades. Doug Mcknight havia aprendido a estar contente.

De igual modo aprendera a leprosa da ilha de Tobago. Um missionário conheceu-a numa de suas viagens. No final do dia, ele estava liderando a adoração numa colônia de leprosos, e indagou se alguém tinha uma canção favorita. Foi então que uma mulher se voltou e ele viu a face mais desfigurada que jamais vira. Ela não tinha orelhas nem nariz. Seus lábios já não existiam. Contudo, ela levantou uma das mãos sem dedos e pediu: "Poderíamos cantar Conta as bênçãos?" O missionário começou a canção, mas pôde terminá-la. Mais tarde, alguém comentou: "Suponho que você nunca mais será capaz de cantar este hino novamente". Ao que ele respondeu: "Não, eu o cantarei novamente. Mas nunca mais da mesma forma".

Você está esperando que uma mudança nas circunstâncias traga uma mudança à sua atitude? Se assim é, você está na prisão, e precisa conhecer um segredo sobre viajar sem bagagem. O que você tem no seu pastor é maior do que você não tem na vida.

Posso intrometer-me por um instante? Qual é a única coisa que separa você da alegria? Como você completaria a frase: "Serei feliz quando __________" - Quando eu for curado? Quando eu for promovido? Quando me casar? Quando eu ficar solteiro? Quando eu for rico? Como você completaria esta declaração?

Agora, com a sua resposta firme na mente, responda esta: Se você nunca tirar a sorte grande, se o seu sonho nunca se tornar realidade, se a situação nunca mudar, poderá você ser feliz? Se não, você está dormindo na fria cela do descontentamento. Você está na prisão. E você precisa saber o que você tem através de seu Pastor, o Senhor Jesus.

Você tem um Deus que o escuta; tem o poder do amor atrás de você, o Espírito Santo dentro de você, e todo o céu dentro de você. Se você tem o Pastor, você possui graça para cada pecado, direção para cada curva, luz para cada canto, e uma âncora para cada tempestade. Você tem tudo o que precisa.

E quem pode tirá-lo de você? Pode a leucemia infectar a sua salvação? Pode a bancarrota empobrecer suas orações? Um tornado pode levar-lhe a casa terrena, mas tocaria ele o seu lar celestial?

E olhe para a sua posição. Por que o clamor por prestígio e poder? Você já não se sente privilegiado por ser parte do maior trabalho da história?

De acordo com Russ Blowers, nós somos. Ele é um ministro em Indianápolis. Sabendo que seria interrogado na reunião do Rotary Club acerca de sua profissão, resolveu dizer mais que "eu sou um pregador". Em vez disso, ele explicou: "Oi, sou Russ Blowers. Estou num empreendimento global. Temos ramificações em cada país do mundo. Temos representantes em quase todos os parlamentos da terra, bem como nas salas de reunião de diretoria. Somos pela motivação e alteração de comportamento. Movimentamos hospitais, posto de alimentação, centros de gravidez de risco, universidades, editoras e casas de saúde. Cuidamos de nossos clientes do nascimento à morte. Gostamos de seguro de vida e seguro contra incêndio. Realizamos transplante espiritual de coração. Nossa organização original possui todos os bens imóveis da terra mais um sortimento de galáxia e constelações. Ele conhece todas as coisas e vive em toda parte. Nosso produto é gratuito (Não existe dinheiro suficiente para comprá-lo). Nosso Comandante nasceu numa cidade rústica, trabalhou como carpinteiro, não tinha uma casa, era mal-compreendido por sua família e odiado por seus inimigos, andou sobre as águas, foi condenado à morte sem julgamento, e ressuscitou da morte. Eu falo com Ele todos os dias.”

Se você pode dizer o mesmo, não tem razão para estar contente?

Certa vez um homem foi pedir conselho a um pastor. Ele achava-se no meio de um colapso financeiro. 
-"Perdi tudo", lamentou ele.
-"Oh, estou tão triste por você ter perdido a sua fé".
-"Não", corrigiu o homem, "não perdi a minha fé".
-"Bem, então sinto muito por você ter perdido o seu caráter".
-"Eu não disse isto", tornou a corrigir ele. "Ainda tenho o meu caráter".
-"Que pena você ter perdido a sua salvação".
-"Não foi isto o que eu disse", objetou o homem. "Não perdi a minha salvação".
-"Você tem a sua fé, o seu caráter, a sua salvação. Parece-me", observou o ministro, "que você não perdeu nenhuma das coisas que realmente importam".

Nem nós as perdemos. Você e eu poderíamos orar como o puritano. Ele sentava-se para uma refeição de pão e água, curvava a cabeça e dizia: "Tudo isto e Jesus também!"

Não podemos estar igualmente satisfeitos? Paulo declarou que "é grande ganho a piedade com contentamento" (I Timóteo 6:6). Quando entregamos a Deus o incômodo fardo do descontentamento, não apenas desistimos de algo, mas ganhamos alguma coisa. Deus o substitui por um que seja leve, feito sob medida, à prova de tristeza e adicto da gratidão.

O que você ganhará com o contentamento? Poderá ganhar o seu casamento. Poderá ganhar horas preciosas com os seus filhos. Poderá ganhar o seu auto-respeito. Poderá ganhar alegria. Poderá ganhar a fé para dizer: "O Senhor é o meu pastor; nada me faltará"!

Tente dizê-lo bem devagar: "O Senhor é o meu pastor; nada me faltará".
Novamente: "O Senhor é o meu pastor; nada me faltará".
De novo: "O Senhor é o meu pastor; nada me faltará".
Shhhhh. Ouviu alguma coisa? Acho que ouvi. Não tenho certeza... mas acho que ouvi a porta de uma prisão se abrindo.
Por Max Lucado
Do livro Aliviando a Bagagem, CPAD 

quinta-feira, 27 de setembro de 2012

Nossa Esperança está em Deus


"E o Deus da esperança vos encha de todo o gozo e paz no vosso crer, para que sejais ricos de esperança no poder do Espírito Santo" Romanos 15:13

Embora a troco de qualquer coisa se diga que a esperança é a última coisa a morrer, a verdade é que o mundo vive sem esperança e são muitos e muitos milhares de pessoas que se suicidam, todos os anos, por falta de esperança.

Vemos estes tipos de situações nos jornais; pelos parentes:
  • Uma menina violentada pelo padrasto não aguentou a pressão e lançou-se do sétimo andar de um edifício e morreu;
  • João trancou o último ano da universidade e, como não tinha dinheiro para continuar a estudar, nem para viver, atirou em seus ouvidos, porque não tinha mais esperança;
  • Joana, com uma família grande e com o abandono do marido, enforcou-se no seu próprio quarto, pois "sem dinheiro para viver a vida não faz sentido";
  • Jorge, de 18 anos, foi abandonado pela namorada e, achando desta forma que a vida não fazia mais sentido, pôs um fim definitivo com uma dose exagerada de remédios.
É assim que, na França, mais de 15 mil pessoas se suicidam; em Portugal mais de 1.000 fazem o mesmo e mais de 2.500 pessoas tentam fazê-lo - no Brasil, aproximadamente 8.000 cometem suicídio. Divórcios, traições, lutas fraternas, angústias mentais, tornam este mundo sem esperança. Mas, na verdade, a esperança não morre, porque nasce de Deus. Por isso, Paulo dizia aos seus leitores de Roma: "E o Deus da esperança vos encha de todo o gozo e paz no vosso crer, para que sejais ricos de esperança no poder do Espírito Santo" (Romanos 15:13).

Não fique aí sem esperança. Anime-se. Há uma fonte de esperança que corre continuamente para que não entre em desespero e chegue mais adiante, onde, nem a morte, nem a dor nos poderão separar de Cristo - a felicidade suprema.

Jesus veio dar-nos vida eterna, felicidade, certezas. Por isso, não há que desanimar. Há que esperar n'Ele, porque, ainda que tudo falhe, Ele nunca falhará.

Creia n'Ele e tenha salvação.
Por José Luiz Valério

domingo, 23 de setembro de 2012

O Caminho de Deus é Perfeito!


"O caminho de Deus é perfeito, e a palavra do Senhor refinada; e é o escudo de todos os que nele confiam." 2 Samuel 22:31

No momento em que estamos, tem sido difícil se manter e agir conforme a Palavra de Deus. O que também não é novidade, pois, afinal de contas, isto faz parte dos acontecimentos que nos aproximam do fim dos tempos (Mateus 24:9-14).
Todas estas coisas ruins, desde o rompimento da estrutura da Igreja Cristã até o apelo do diabo em querer nos levar para o pecado fazem parte dos sinais da volta de Jesus Cristo:

"Pelo que alegrai-vos, ó céus, e vós que neles habitais. Mas ai da terra e do mar! porque o Diabo desceu a vós com grande ira, sabendo que pouco tempo lhe resta." Apocalipse 12:12

O diabo sabe que o seu tempo está esgotando, e nós, consequentemente, também sabemos. Mas, as vezes damos ouvido às astutas ciladas do diabo e, quando vimos, já caimos no poço da iniquidade. Quando estamos sobre o efeito do pecado, não sentimos o erro que estamos cometendo, mas sim o prazer daquilo. Depois acordamos e tomamos conta do erro, e então envergonhamos o nome do Senhor.

E é isso que mais dá alegria ao demônio. O plano dele foi cumprido, e ele então ri da nossa ignorância, sabendo que não custa para cairmos em pecado novamente.

Porém temos um Pai misericordioso, que perdoa, e que ao ouvir do nosso clamor, está sempre pronto a nos ajudar, muito embora não mereçamos.

Há um versículo muito bonito que fala deste perdão: "Quem, oh Deus, é semelhante a ti, que perdoas a iniquidade e te esqueces da transgressão do restante da tua herança? O Senhor não retém a sua ira para sempre, porque tem prazer na misericórdia. Tornará a ter compaixão de nós; pisará aos pés as nossas iniquiadades e lançará todos os nossos pecados nas profundezas do mar.

Que bonito! Ao simples ouvir da nossa oração, o Senhor nos perdoa e lança nossos pecados nas profundezas do mar. Ou, como costumamos dizer, no mar do esquecimento. E então Ele não se lembra mais de nenhum dos nossos pecados, porque Ele é perfeito e igual não há!

Vem uma alegria imensa em meu coração quando falo do amor de Deus, ou simplesmente quando o sinto em minha vida. É muito bom estar com o Senhor! São tantas emoções... maravilhosas emoções, é claro.

Amado, minha mensagem é alertar-te sobre o posicionamento do cristão nesses casos. O que acontece é que deixamos o diabo sussurrar em nossa mente para que cometamos a iniquidade. E amado irmão, isso vai sempre acontecer, todos nós somos tentados, desde simples envangelistas até grandes missionários, pastores, e por aí vai.

O Senhor nos mostrou o verdadeiro caminho, um caminho perfeito. Para seguí-lo, devemos aceitar a Cristo, e andarmos em conformidade com a Palavra de Deus. E para andarmos em santidade, consequentemente temos de nos confrontar diariamente com o diabo. O Senhor nos deu autoridade para pisarmos na cabeça do diabo:

"Eis que vos dei autoridade para pisar serpentes e escorpiões, e sobre todo o poder do inimigo; e nada vos fará dano algumLucas 10:19

Paulo disse a um demônio: Em nome de Jesus Cristo, te mando que saias dela; e a mulher insana foi completamente restaurada (At 16:18). Assim como Paulo exortou que o demônio saísse daquela mulher, você deve mandar o diabo sair da sua vida e de seus pensamentos.

Precisamos estar em Cristo, sermos uma nova criação em Cristo (II Coríntios 5:17; 1 Co 2:16), devemos andar como o Senhor andou: "aquele que diz estar nEle, também deve andar como ele andou" (1 João 2:6)

Então, tome posse da autoridade que Ele lhe deu e expulse o demônio da sua vida. Andar com Jesus é uma constante luta contra o mal, preconceitos e tentações. Muitas aflições virão, mas de todas elas o Senhor nos livra (Salmos 34:19). Basta você fazer a sua parte.

Por Gabriel Ferraz

sábado, 15 de setembro de 2012

Porque os Crentes Não se Misturam?


Porque alguém que vivia de farras de repente cria aversão a festas depois de entrar em uma igreja? Porque um viciado em drogas , cigarros e bebidas, de repente passa a repudiar até mesmo o aroma dessas substâncias? Porque um homem adúltero abandona toda sua vida de devassidão e depravação moral e passa a voltar-se para sua família em amor e cuidado?

Muitos sem entender, tecem comentários bobos do tipo: "Ele não vai a festa, não bebe e não apronta mais porque o pastor não deixa" ou "Ela aprontou todas, cansou, e agora quer dar uma de santinha".
Perceba que a maldade presente na essência humana é tamanha que estão habituadas a vida de pecado. Estranham e repudiam tudo que é bom, tudo que vem de Deus. As pessoas além de se entregarem ao deus deste mundo (que é satanás), ainda sentem-se incomodadas quando pessoas se entregam a Cristo e abandonam este mundo e suas práticas destrutivas.

Teria alguém em si mesmo a capacidade de mudar? A resposta é clara e direta: não. O que causa então essa mudança? Como conseguem? Como são fortalecidos a tal ponto? A resposta é tão simples, que somente aqueles que abrem o coração entendem: a entrega nas mãos de Jesus e a busca por experiências com Deus.

Quando um homem e uma mulher se entrega nas mãos de Deus, passam a sentir a presença de Deus através do Espírito Santo. Uma das diversas experiências com Deus. Tais experiências são transcedentais e fogem a qualquer explicação humana. Essas experiências trazem uma alegria nunca antes jamais experimentada em nenhum lugar deste mundo. Uma coisa é ouvir sobre Deus, ou até mesmo realizar cerimônias mortas e decadentes em nome Dele, e outra completamente diferente é senti-lo!!

Palavras não podem expressar tais experiências. Já tive várias delas, mas a maior de todas foi quando certa tarde após começar a cantar hinos de louvor, senti a atmosfera de minha sala sendo preenchida pela presença real de Deus. Não tenho como descrever a experiência, apenas lembro de ter sentido uma alegria tão imensa, tão doce, tão sublime, tão inexplicável que me lancei com o rosto ao chão, adorando-o e sentindo sua presença.

A experiência de Deus é uma questão de sobrevivência espiritual. Depois de tais experiências, todas as demais coisas que este mundo oferece, que pareciam tão atrativas, perdem o poder sobre nossas vidas.
Por Ismael Moura

sábado, 8 de setembro de 2012

Como Crer, Assim Será!


A vida vitoriosa e de grandes conquistas que Davi experimentou não foi por acaso. A maneira como ele conheceu o Senhor e creu nEle foi seu diferencial.

No livro de Salmos, capítulo 113, versículos de 1 a 4, o salmista louva a Deus do começo ao fim. Só quem reconhece que Ele faz todas as coisas, em todo o tempo, tem condições de ter uma vida de louvor diário.

Nos versos 5 e 6, ele deixa claro que o Criador é maior que Sua criação, diferentemente de alguns que, segundo o apóstolo Paulo (Romanos 1.20-25), dão mais valor à criação, tendo seus juízos pervertidos e sofrendo as consequências disso. Em seguida, nos versos 7 e 8, o salmista deixa claro que não há nada difícil para Deus.

Como você vê o Senhor? Como crê nEle e em Sua Palavra? Louve-O, reconheça-O como o Todo-Poderoso, deposite nEle sua esperança, e Ele não o decepcionará. Como crer, assim será.

Por Glauber Morare

quarta-feira, 5 de setembro de 2012

A Voz da Consciência

A caminho de uma campanha em Orlando, na Flórida (EUA), um irmão que me acompanhava disse: “Esta estrada é uma reta só! Parece não ter fim. Não dá para acelerar um pouco, para ver se chegamos mais rápido?”.

Quem gosta de dirigir pode achar monótono viajar por uma reta extensa, por isso, vê-se tentado a acelerar, ansioso por curvas fechadas que testem suas habilidades. Da mesma forma, o diabo tenta nos convencer de que a vida aplainada que o Senhor nos dá é monótona e procura, a todo custo, fazer-nos transgredir com os prazeres do mundo.

Devemos estar atentos ao que Deus disse a Josué: “Não te desvies, nem para a direita nem para a esquerda, para que prudentemente te conduzas por onde quer que andares” (Josué 1.7b). Se ouvirmos a voz de Deus, veremos que a viagem passará rapidamente e não haverá desabono. Foi o que aconteceu com o irmão que mencionei. Ao chegarmos ao nosso destino, depois de três horas de viagem, ele disse: “Nossa! Chegamos bem, e sequer estou cansado”.

Por Glauber Morare

domingo, 26 de agosto de 2012

Decida o Seu Destino Eterno

O mundo está passando por uma enorme mudança, fato que tem sido notado por todos. A ciência, por exemplo, está multiplicando-se, como foi predito pelo profeta Daniel (Daniel 12:4). Entretanto, as transformações na sociedade não tem sido boas em tudo: os homens tem se tornado maus e amantes de si mesmos (2 Timóteo 3:2); a criminalidade, apesar de assustadora já não incomoda tanto; o desrespeito à moralidade é visto até nos programas de televisão, em que pessoas são pagas para rir do que é decente. Em razão disso, indivíduos com mentes fracas assimilam maus costumes.

É triste saber que muitos do povo de Deus não veem nada de mais nisso tudo. As pessoas tornaram-se insensíveis diante do grande descaramento com que os praticantes dos atos errados agem, mostrando publicamente, agora, o que faziam as escondidas.

Segundo as palavras de Jesus, no momento em que o destino eterno se cumprir, haverá choro e ranger de dentes (Mateus 8:12).

No entanto, a humanidade parece estar louca, pois muitos não querem dar atenção a esta verdade. Os reis de Israel também riram das advertências dos profetas, os quais, mesmo citando exemplos bíblicos, não foram ouvidos. Um dia, porém, veio Nabucodonosor, e a profecia se cumpriu.

Os sinais evidenciam que Jesus voltará no momento certo, o qual somente o Pai sabe (Mateus 24:36; Marcos 13:32). O assunto é tão sério e importante que nem o Filho de Deus, o Salvador, a quem foi dado todo o poder nos céus e na terra, sabe o dia ou a hora. Ainda assim, as pessoas estão "dormindo" e não dão atenção ao que lhes é dito.

Portanto, é bom se consertar com o Senhor agora, pois você não sabe o que pode acontecer num futuro próximo. Lembre-se de que aqueles que não estiverem preparados serão lançados no fogo eterno, onde o sofrimento jamais acabará.

Seja sábio e se prepare para a vida eterna com a sua conversão. Aceite o Senhor Jesus como Salvador e tenha o seu nome escrito no Livro da Vida. Seu destino eterno depende dessa decisão.

Por R.R. Soares
Revista Graça/Show da Fé

domingo, 22 de julho de 2012

Por Que Enfrentamos Tantas Lutas?

É comum escutarmos alguém dizer que seria bom viver em um mundo sem problemas. Entretanto, se buscarmos a razão das nossas lutas, perceberemos que elas estão em nós mesmos.

A Bíblia declara: "Donde vêm as guerras e pelejas entre vós? Porventura, não vêm disto, a saber, dos vossos deleites, que nos vossos membros guerreiam?" (Tiago 4:1).

Nosso eu é quem abriga as sementes das dificuldades pelas quais passamos. Em geral, é apenas nos momentos de derrota que percebemos tal verdade, mas, se hoje temos a Palavra de Deus sendo revelada em nosso coração, devemos obedecer-Lhe e, desse modo, subjugar o nosso eu.

Portanto, arranque a semente do problema, e ela não germinará. Se não é possível que nos livremos de todas as batalhas (Jo 16.33), devemos, então, andar ao lado de Jesus e vencer as adversidades.

Por Glauber Morare

domingo, 24 de junho de 2012

E Você, Ainda é Bom Nisso?

Porque Jesus foi a um casamento? Porque Ele foi convidado: "E foram convidados Jesus e seus discípulos para as bodas" (João 2.2)

Quando o noivo e a noiva juntaram as listas de convidados o nome de Jesus estava incluído: "Certifique-se de que o nome de Jesus está na lista! Ele dá vida as festas", devem ter dito.
Jesus não foi convidado porque era uma celebridade. Não naquele momento. O convite não foi feito por causa de seus milagres, ainda não tinha feito nenhum. Porque então recebeu o convite? Suponho que gostavam dele. 

Grande coisa? Penso que sim, pois é significativo que amigos de uma pequena cidade sentissem prazer em estar com Ele. É notável que o todo poderoso não fosse solene.Tampouco era sabe-tudo ou sou-mais-santo-que-vocês.

Aquele que criou todas as estrelas não as tinha em mente. O dono de toda terra e de tudo que nela há nunca se gabou disso. Nunca. Ele poderia ter se gabado! E como!
Ele poderia ter dito: "Já contei a vocês sobre o dia que eu e Moisés fomos até a montanha?" ou "Querem que eu conte como vai ser o século XX?". Quem sabe ser um espertinho: "Sei o que você está pensando, quer que eu diga?" Ou um sabichão e arrogante: "O planeta Júpiter também é meu!"

Jesus poderia ter sido tudo isso, mas não foi. Seu objetivo não era se exibir, e sim destacar-se. Ele passou por grandes dores, para ser um homem como qualquer outro. Não precisava estudar, mas ainda assim frequentou a Sinagoga. Mesmo não necessitando de salário, trabalhava na marcenaria. O Cristo conhecera a amizade dos anjos e ouvia as harpas celestiais, e mesmo assim ia a festas oferecidas por coletores de impostos.

E, mesmo estando sobre seus ombros o desafio de redimir a criação, Ele ainda tinha tempo para caminhar quase 145 quilômetros, de Jericó a Caná, para ir a um casamento. Por isso as pessoas gostavam dele.

Oh, haviam os que desdenhavam suas reivindicações. Chamavam-no blasfemador, porém nunca de fanfarrão. Acusavam-no de herege, mas nunca de arrogante. Foi tachado de radical, não de inacessível. Não há alusão ao fato de Ele ter usado seu status celestial em beneficio próprio. Nunca.

A Bíblia não dá nenhuma indicação de que seus vizinhos tenham ficado irritados com sua arrogância a ponto de perguntarem: "Quem fez de você Deus?" Sua maneira de viver o tornou querido, e não detestável.

A nossa deveria fazer o mesmo conosco. De onde nos vem a idéia de que o bom cristão deve ser solene? Quem iniciou os rumores sobre a necessidade de que o cristão tem andar de cara fechada? Como criamos a premissa de que os verdadeiros abençoados são os de cara amarrada?

Posso dar minha opinião sobre o motivo porque Jesus foi ao casamento? Leia a explicação até o final para que possa entendê-la. Não tire conclusões apressadas!

Ele foi ao casamento para se divertir! Pense nisto: Jesus havia passado por momentos difíceis. Quarenta dias no deserto. Sem pão nem água. A batalha contra satanás. Uma semana com alguns galileus principiantes. Havia deixado sua casa. Uma pausa seria bem vinda. Boa comida, música, e alguns amigos... Soa muito bem.

Então puseram-se a caminho. Seu propósito não era transformar a água em vinho. Aquele foi um favor a seus amigos. Seu propósito não era demonstrar o poder que possuía. O anfitrião pode nem ter ficado sabendo o que Jesus fizera. Tampouco era pregar. Não há registro de nenhum sermão.

Resta apenas uma explicação: divertimento. Jesus foi ao casamento porque gostava de estar com as pessoas. Ele era um amigo querido, e seus discípulos deveriam fazer o mesmo.

Não estou falando de deboches, bebedeira e adultério. Tampouco apoiando consessões, grosserias e obscenidades. Estou simplesmente lutando pela liberdade de poder participar de uma boa brincadeira saudável, animar uma festa triste e apreciar uma noite divertida.

Talvez estes pensamentos o tenham pego de surpresa. Aconteceu comigo também! Não demorou muito tempo para que eu visse Jesus por este ângulo. Mas Ele era assim.

Seus adversários o acusavam de ser um comilão, beberrão; e de estar com as pessoas erradas! (Mateus 11.19) Preciso confessar que há algum tempo não sou acusado de me divertir muito. E você?

Costumávamos ser bons nisso. O que aconteceu conosco? O que aconteceu com o divertimento saudável e a boa risada? São nossas gravatas que nos sufocam? São nossos diplomas que nos engrandecem? São os bancos cativos da igreja que nos formalizam? Conseguiríamos voltar a ser crianças novamente?

Tragam as bolinhas de gude! - "E se os sapatos ficarem arranhados?". Tragam o carrinho de rolimã! - "E se sujarmos a roupa?". Tragam o ioiô! - "E se ele nos acertar os dentes?"
Seja criança novamente! Divirta-se, sorria! Molhe sua bolacha no copo de leite.Tire uma soneca. Peça desculpas; caso tenha magoado alguém. Caçe uma borboleta. Volte a ser criança! Solte-se! Você não tem algumas pessoas para abraçar, pedras para pular ou lábios para beijar?

Se alguém precisa achar engraçado o coelho Pernalonga, que seja você. Algum dia aprendera a se divertir, e é melhor que seja agora. Um dia você se aposentará, porque não hoje? Não estou falando de aposentadoria do seu trabalho, mas de suas atitudes.

Honestamente, reclamação tem melhorado seus dias? A murmuração tem pago suas contas? A preocupação com o amanhã tem ajudado? Deixe que outra pessoa se preocupe por alguns momentos. 

Jesus tirou um tempo para se divertir... "Não deveríamos fazer o mesmo?"

Por Max Lucado
Do livro "Quando Deus Sussurra Seu Nome"

terça-feira, 19 de junho de 2012

Não é Fácil

Os teus olhos olhem direitos, e as tuas pálpebras olhem diretamente diante de ti. Pondera a vereda de teus pés, e todos os teus caminhos sejam bem ordenados! Não declines nem para a direita nem para a esquerda; retira o teu pé do mal.” Provérbios 4.25-27

Os versículos acima nos ensinam a não nos desviarmos dos objetivos estabelecidos em nossa vida. Muitas vezes, diante das lutas e dos problemas, perdemos o foco e saímos do caminho e da visão dados por Deus.

Não é fácil, mas é possível caminharmos sempre na direção do Senhor. Como? Mantendo-nos firmes na Sua Palavra, respeitando-O e observando os Seus mandamentos. Só assim conseguiremos cumprir Seus planos e andar em santidade.

Não podemos deixar nossos caminhos desordenados nem nos desviar para lado algum. Sejamos sábios, mantendo nossos olhos fixos em Jesus e não permitindo que os ciscos da vida tirem-nos a visão. Devemos ter a habilidade de enxergar todas as maravilhas de Deus em nosso viver, incluindo a maior delas, a salvação.
Por Serikako Hiroshi

domingo, 27 de maio de 2012

Uma Palavra Muda Tudo

Muito se fala sobre a importância das palavras. Mas, até que ponto elas influenciam as questões da vida? Usado por Deus, Salomão escreveu que “a morte e a vida estão no poder das palavras” (Provérbios 18.21).

Em relação às questões ruins, de morte, vê-se o caso de Ananias e Safira (Atos 5.1-10). No coração, tramaram; mas, diante dos apóstolos, confessaram mentiras. Safira disse apenas um “sim”, mas suas palavras estavam cheias de peçonha mortal, escondendo engano e mentira. Resultado: morreu na mesma hora.

Sobre as questões boas, de vida, pode-se mencionar Calebe (Josué 14.6-13). Por direito, ele era herdeiro da promessa de habitar na terra. Porém, ela estava ocupada por gigantes, e Calebe já não era mais jovem. No coração, entretanto, ele sabia Deus não falharia com ele. Por isso, abriu a sua boca e fez uma bela confissão, apossando-se da vitória. Conforme ele disse, assim aconteceu.

Confesse a Palavra de Deus, em todo o tempo, independentemente das circunstâncias. Porém, tenha cuidado! Mesmo palavras bonitas, mas destituídas da essência Divina, conduzirão à morte.

Por Glauber Morare

quinta-feira, 17 de maio de 2012

Só Uma Coisa... Mas Você a Tem Feito?

Lendo um livro chamado A Gloriosa Oportunidade da Igreja (de Jerry R.O'Dell), achei uma ilustração muito importante, que se aplica a muitos de nós:
Um pai foi viajar, e deixou a casa aos cuidados de seus filhos. Antes de partir só pediu uma coisa: "Cortem a grama antes que eu volte!"

Cada um deles “iniciou” a tarefa, mas acabaram observando outra coisa mais importante, e deixaram a grama de lado: "mais tarde, com certeza, daria tempo para tudo" - pensavam...

Quando o pai voltou, encontrou sua casa pintada, com novos cômodos, nova iluminação, telhado reformado, entrada decorada, muitas melhorias, mas... a grama não havia sido cortada!

Os filhos tentaram se justificar, mostrando tudo que fizeram e quanto haviam trabalhado duro, se dedicado e esforçado. Mas o pai disse: “eu só pedi uma coisa, e vocês não a fizeram...” 
(A gloriosa oportunidade da igreja)

Hoje, não tem sido muito diferente. Antes de partir Jesus disse: “Anunciai o evangelho a toda criatura" (Marcos 16:15)

Isso devia ser o mais importante! Falar de Jesus! Anunciar a salvação ao perdido! Levar pessoas, sejam elas adultos, idosos, jovens ou crianças, a conhecer o plano de salvação.
 
Obter a nossa salvação e anunciar a salvação ao próximo são prioridades!!! Mas não é o que temos visto de muitos... "Estejamos atentos! Não sabemos quando Ele voltará" (Marcos 13.35-37). Que Ele não te encontre dormindo ou fazendo suas próprias melhorias!

Por Fernanda Medeiros

segunda-feira, 30 de abril de 2012

Você tem medo?

Jó foi um homem de Deus, conforme o próprio Senhor falara a respeito dele: “(...) Observaste tu o meu servo Jó? Porque ninguém há na terra semelhante a ele, homem sincero, e reto, e temente a Deus, e desviando-se do mal” (Jó 1:8).

Há muito tempo se debate a causa do sofrimento de Jó. Já li em um livro que ele sofreu porque não era fiel nos dízimos. Respeito todas as opiniões, porém ele mesmo diagnosticou a causa do seu sofrimento: “Por que o que eu mais temia me veio, e o que receava me aconteceu?“ (Jó 3:25)..

Entenda: o medo é uma porta aberta para o diabo entrar na vida de uma pessoa. Feche essa porta com a Palavra de Deus! Veja declarações bíblicas que irão ajudá-lo:
O Senhor é a minha luz e a minha salvação; a quem temerei? O Senhor é a força da minha vida; de quem me recearei?” (Salmos 27:1).

Quando a Palavra de Deus ilumina o coração, ou seja, quando você é dirigido por Ela, não há temor do mal; a Palavra dá segurança. Quando surge uma doença, e, com ousadia, você diz “Fora! Eu fui sarado pelas feridas de Jesus!”. Na verdade, você falou a Palavra de Deus que está em seu coração. 

Ainda no entendimento acima, em Provérbios capítulo 1, versículo 33, lemos: “Mas o que me der ouvidos habitará seguramente e estará descansado do temor do mal”. Isso mostra que a pessoa que dá atenção à Palavra, crédito ao que o Senhor diz, não terá medo do mal.

Em Isaías capítulo 41, versículo 10, o Senhor diz: “Não temas, porque eu sou contigo (...)”. Mas quando é que Ele está com você? Quando a Palavra está em seu coração.

A profecia afirma: “Eis que a virgem conceberá e dará à luz um filho, e ele será chamado pelo nome de Emanuel, que traduzido é: Deus conosco" (Mateus 1:23). Jesus é Deus conosco, e Ele é a Palavra que se fez carne e habitou entre nós. Quando alguém tem a Palavra revelada no seu espírito, ele não teme o mal.

Olhe na Bíblia exemplos de pessoas que não temeram, pois confiaram no Senhor na adversidade: Davi diante de Golias (1 Samuel 17:40-52); Ezequias, quando ameaçado por Senaqueribe (2 Crônicas 32:1-8); Eliseu cercado pelo exército da Síria (2 Reis 6:14-18).

Todos declaravam que maior é o que está conosco, conforme o livro santo “Se Deus é por nós, quem será contra nós?” (Romanos 8:31), "(...) porque maior é o que está em vós do que o que está no mundo" (1 João 4:4). Ande nesse amor sim. Pois o verdadeiro amor é andar na Palavra, e ele lança fora todo medo (1 João 4:18).

A Bíblia diz que o medo é um espírito (2 Timóteo 1:7), porém Deus não nos deu esse espírito, mas, sim, de poder, amor, moderação. Quando ele surgir, resista com a Palavra de Deus, e ele fugirá.
Que Deus o abençoe e que você possa andar no amor de Deus com toda ousadia, testemunhando que está livre do medo do mal, pois maior é aquele que habita em nós.

Por Jayme de Amorim Campos

quarta-feira, 18 de abril de 2012

Tal Qual um Purê de Batatas

Se pegarmos algumas batatas e as colocarmos em um saco, elas ficarão juntas dentro dele, porém não terão unidade. Bastaria rasgá-lo para que elas caíssem no chão e se espalhassem, cada uma para um lado. Assim acontece quando estamos unidos apenas pelo título de “cristão”. Basta uma discórdia, ou qualquer outro problema, e logo nos separarmos e ficamos confusos.

Porém, se pegarmos as mesmas batatas e tirarmos suas cascas (retirar as máscaras, falar a verdade), colocarmos todas elas na água (meditação na Palavra) e no fogo (Espírito Santo) e deixarmos que cozinhem por alguns minutos (tempo de oração), elas vão amolecer e, então, poderão ser amassadas, tornando-se um purê que já não se pode mais separar.

Não seja apenas um frequentador da igreja, mas parte dela. Tenha tempo de qualidade com Deus, e Ele poderá trabalhar mais em você!
Por Rev. Machado

terça-feira, 10 de abril de 2012

Participantes da Natureza Divina

"Pelas quais ele nos tem dado grandíssimas e preciosas promessas, para que por elas fiqueis participantes da natureza divina, havendo escapado da corrupção, que pela concupiscência há no mundo. E vós também, pondo nisto mesmo toda a diligência, acrescentai à vossa fé a virtude, e à virtude a ciência, e à ciência a temperança, e à temperança a paciência, e à paciência a piedade, e à piedade o amor fraternal, e ao amor fraternal a caridade. Porque, se em vós houver e abundarem estas coisas, não vos deixarão ociosos nem estéreis no conhecimento de nosso Senhor Jesus Cristo."
2 Pedro 1:4-8 

"[...]acrescentai à vossa fé a virtude, e à virtude a ciência"- Veja que Pedro destaca que a primeira preciosa benção que recebemos foi a fé. Mas, não podemos nos acomodar com apenas a fé. Ele diz que devemos ser diligentes em acrescentar à nossa fé, a virtude.

Portanto, o primeiro elemento que compõe a natureza divina e que Deus quer compartilhar conosco é a virtude. Esta palavra, neste contexto, significa poder:
"Como Deus ungiu a Jesus de Nazaré com o Espírito Santo e com virtude; o qual andou fazendo bem, e curando a todos os oprimidos do diabo, porque Deus era com ele" (Atos 10:38).

O segundo elemento é ciência. Não se trata do conhecimento por meio de pesquisa empírica. Trata-se do conhecimento de Deus que nos é transmitido pelo Seu Espírito: "Mas Deus no-las revelou pelo seu Espírito; porque o Espírito penetra todas as coisas, ainda as profundezas de Deus" (1 Coríntios 2:10).

O terceiro elemento é a temperança - que significa domínio próprio, equilíbrio: "Mas o fruto do Espírito é: amor, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão, temperança" (Gálatas 5:22).
 
O quarto elemento é paciência - É a mesma virtude divina chamada de longanimidade. É esperar, aguardar. É o tempo kairós - o momento certo: "Esperei com paciência no SENHOR, e ele se inclinou para mim, e ouviu o meu clamor" (Salmos 40:1).

O quinto elemento é a piedade. Não se trata daquele sentimento que nos leva a sentir pena das pessoas. Piedade, neste texto, tem o sentido de devoção; santo temor: "Por isso, tendo recebido um reino que não pode ser abalado, retenhamos a graça, pela qual sirvamos a Deus agradavelmente, com reverência e piedade" (Hebreus 12:28).

O sexto elemento é amor fraternal. Que é o que temos pelo nosso próximo. Mas, uma vez, não é sentir dó ou pena de alguém. Fraternidade é o sentimento que nos leva a cuidarmos com amor daqueles que estão à nossa volta: "Mas, se alguém não tem cuidado dos seus, e principalmente dos da sua família, negou a fé, e é pior do que o infiel" (1 Timóteo 5:8).

O sétimo elemento da natureza divina que Deus quer compartilhar conosco é a caridade. O amor ágape, o puro e doce amor: "E nós conhecemos, e cremos no amor que Deus nos tem. Deus é amor; e quem está em amor está em Deus, e Deus nele." (1 João 4:16).

É grande o privilégio que temos, o de podermos nos tornar participantes da natureza divina. A natureza divina, com todos os seus elementos que a compõe, precisa estar abundante em nós.

"Se guardardes os meus mandamentos, permanecereis no meu amor; do mesmo modo que eu tenho guardado os mandamentos de meu Pai, e permaneço no seu amor."
João 15:10

terça-feira, 20 de março de 2012

O Pecado da Omissão

Quando nós pensamos em pecado, logo vem à nossa mente a idéia de uma prática errada. No entanto, além de o pecado estar relacionado a uma ação, ele também pode simplesmente significar o contrário. Ou seja: nós pecamos quando deixamos de fazer o que o Pai nos pede.

Um exemplo pode ser encontrado no capítulo 25 de Mateus. O Senhor mostra o futuro destino dos ímpios a um tipo bem comum de pecado de omissão: o fato de não pregarmos aos nossos irmãos sobre a palavra e o poder de Deus: 

"Apartai-vos de mim, malditos, para o fogo eterno, preparado para o diabo e seus anjos; porque tive fome, e não me destes de comer; tive sede, e não me destes de beber; sendo estrangeiro, não me recolhestes; estando nu, não me vestistes; e enfermo, e na prisão, não me visitastes" (Mateus 25:41-43). 

Nós temos ignorado uma das principais direções dadas por Deus a nós. O "ide" (Marcos 16:15). Há muitas pessoas ao redor do mundo, e principalmente bem próximas a nós, que não têm recebido a palavra de Deus. É claro que nem todos nós temos a oportunidade de pregar ao mundo todo, ou o dom de pregar em praças, presídios, na televisão e em outros lugares; mas aqueles que temos ignorado são as pessoas que estão bem próximas a nós: nossos amigos e familiares.

Quem nunca, talvez, tenha deixado de ministrar a Palavra à alguém de sua família ou do seu círculo de amizades, quando este necessitava do consolo de Deus em seu coração? Por acharmos que isso possa acabar ou "balançar" os nossos laços de amizade, devido a críticas ou estranhamento dos outros, deixamos de fazer a vontade de Deus. Um parente ou um amigo seu pode estar perdido, preso ao pecado e aflito, mas você é incapaz de chamar-lhe a atenção. Talvez você até dê um conselho tênue, mas jamais entra em uma questão espiritual.

Não se trata também só de conselhos, mas também de orações, de perseverança, de busca, e de até jejum, se necessário. Não podemos ser omissos: devemos semear a palavra de Deus!

Outro ponto, talvez mais importante ainda, trata-se de nossa vida pessoal com o Pai: a obediência à Deus e a meditação na Sua Palavra. É preciso que façamos uma faxina em nós mesmos para retirar tudo aquilo que não provém de Deus. Para estarmos firmes na hora da luta em busca da vitória, devemos dedicar o nosso tempo a Deus; orando, meditando, buscando e adorando ao Senhor. Sem busca não há resposta, e sem reposta não há solução. 

Certa vez ouvi uma definição bem exata para o tipo de pessoa que não obedece a Deus e nem se importa em guardar Seus preceitos: este é o cristão ateu, que vai à igreja, ouve a Palavra, mas que ao mesmo tempo comete todo o tipo de pecado, fazendo de conta de que Deus não existe e não vê o que ele está fazendo.

Confronte-se, faça uma análise pessoal e pergunte-se: "Eu tenho sido omisso? Tenho deixado de falar a meus irmãos sobre Deus e sobre a mudança que ele pode fazer em uma vida? Tenho deixado Deus de lado, não orando e não meditando, ou não dedicando um tempo maior para isso? O que eu tenho sido para Ti, Senhor?"

"Sonda-me, ó Deus, e conhece o meu coração; prova-me, e conhece os meus pensamentos. E vê se há em mim algum caminho mau, e guia-me pelo caminho eterno".
Salmos 139:23-24

Por Gabriel Ferraz

segunda-feira, 5 de março de 2012

Mudanças Repentinas de Comportamento

Talvez você conheça pessoas que mudam de atitude de forma repentina e inexplicada e, talvez, você se pergunte se essa pessoa é esquizofrênica ou tem transtorno bipolar.

Em Marcos, no capítulo 8, vê-se que Pedro deixa-se ser usado pelo diabo e é repreendido por Jesus minutos antes de ter uma grande revelação sobre quem era o Cristo, e ser exaltado por Ele: "E começou a ensinar-lhes que importava que o Filho do homem padecesse muito, e que fosse rejeitado pelos anciãos e príncipes dos sacerdotes, e pelos escribas, e que fosse morto, mas que depois de três dias ressuscitaria. E dizia abertamente estas palavras. E Pedro o tomou à parte, e começou a repreendê-lo. Mas ele, virando-se, e olhando para os seus discípulos, repreendeu a Pedro, dizendo: Retira-te de diante de mim, Satanás; porque não compreendes as coisas que são de Deus, mas as que são dos homens" (Marcos 8:31-33). Por que uma pessoa que acabara de receber uma revelação sobrenatural tomou atitudes carnais?

No mesmo episódio, Jesus mostra o motivo da mudança e ensina como viver uma vida constante e crescente: "Se alguém quiser vir após Mim, negue-se a si mesmo, e tome a sua cruz e siga-Me" (Marcos 8:31-33).

Negar-se a si mesmo é renunciar os conceitos e sentimentos humanos apreendidos desde o nascimento. Tomar a cruz é obedecer a Palavra. Finalmente, segui-LO é fazer o que Ele faria se estivesse em seu lugar. 

Por Glauber Morare

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

A Língua dos Sábios é Saúde

"Há palrador cujas palavras ferem como espada; porém a língua dos sábios traz saúde." 
Provérbios 12:18

As palavras são muito importantes em nossas vidas, e é imprescindível que cada cristão compreenda inteiramente essa importância, seja quando um mal surge ou quando oramos e não recebemos a resposta prontamente. Em primeiro lugar, é preciso entender que, quando surge um mal em nossas vidas e o cristão logo diz “estou doente, não estou bem”, neste momento ele está assinando um recibo do inferno. É exatamente isso! As nossas palavras valem como um recibo. Talvez você diga “eu sinto o mal” ou “foi diagnosticada uma doença”, mas vejamos o que a Palavra de Deus diz sobre isto:

Em Provérbios capítulo 12, versículo 17 está escrito: “O que diz a verdade manifesta a justiça (...)”. Mas o que é a verdade? Talvez os nossos sentimentos? A Bíblia diz em João capítulo 17:17: “Santifica-os na verdade; a tua Palavra é a verdade”.

Compreenda que não estamos negando o mal. Na verdade, o que fazemos é não aceitar algo que contradiz a Palavra, afinal, mesmo que o mal seja real e que o médico tenha verdadeiramente diagnosticado tal doença, as Escrituras dizem que “(...) pelas suas feridas fomos sarados” (Isaías capítulo 53 versículo 5).
Assim, quando surgir um mal ou o sintoma de uma doença, não o confesse, mas proceda de acordo com a Palavra de Deus. Assuma o que está escrito e resista àquele mal, e certamente ele fugirá! (Tiago capítulo 4, versículo 7).

Tenha muito cuidado, pois quando você ora, determina, e nada acontece, é nessa hora que o diabo começa a agir. E é claro que ele não vai aparecer na sua frente com chifre e garfo nas mãos. Ao contrário, ele surge através de pensamentos como “eu não orei direito” ou “tenho que orar mais forte”, e coisas semelhantes.
Mas então, cristão, o que fazer? Novamente, as nossas palavras valerão muito, pois com elas mostraremos o nosso conhecimento do mundo espiritual. Com elas podemos ser vencedores ou derrotados! (Mateus capítulo 12, versículo 37).

Davi, o grande rei de Israel, mostrava ter um grande conhecimento desse assunto, e na Bíblia podemos encontrá-lo falando assim: “Eu disse: guardarei os meus caminhos para não delinquir com a minha língua: enfrearei a minha boca enquanto o ímpio estiver diante de mim” (Salmos 39), e “Põe o Senhor uma guarda à minha boca: guarda a porta dos meus lábios” (Salmos 141:3).
Salomão, filho de Davi, continuou com esse entendimento da Palavra do Senhor em Eclesiastes capítulo 5, versículo 6: “Não consintas que a tua boca faça pecar a tua carne, nem digas diante do anjo que foi erro (...)”.

Entenda, meu irmão: mesmo que você tenha orado e determinado mas nada tenha acontecido, fique firme e não peque com a tua boca! Coloque uma guarda na porta dos teus lábios, e a palavra que saiu da tua boca não voltará para ti vazia (Isaías 55:11), pois o anjo de Deus cumprirá as suas palavras quando elas estiverem de acordo com a Palavra de Deus (Salmos 103:20).

Portanto, não diga que foi erro ou que você não orou direito; não fale diante do anjo (que é um ser espiritual e só pode ser visto com permissão divina) que foi um erro! Segure sua oração, lute contra as evidências! Não se esqueça que o justo vive da fé! Você não pode recuar (Hebreus 10:28), mas tenha a certeza de que, agindo assim, você desfrutará da vida com saúde!

Para concluir, desconsidere os pensamentos e não retroceda da tua oração. Diga: “Não adianta, satanás! A palavra que saiu da minha boca não voltará para mim vazia! A tua doença já está repreendida em nome de Jesus!”.
 Por Jayme de Amorim Campos

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2012

O Bom Pastor Não Desiste

"Se um homem tiver cem ovelhas, e uma se desviar e se perder, que fará ele? Não deixará as outras noventa e nove, e sairá pelos montes em busca da perdida?"
Mateus 18:12 

Louis Pasteur, o famoso microbiologista francês que descobriu que a maioria das doenças é causada por germes, dedicou-se à busca do conhecimento. Cria, entretanto, na existência de valores espirituais que transcendem a ciência. Em 1849, Pasteur casou-se com Marie Laurent, uma de suas assistentes de laboratório. Tiveram cinco filhos. Três morreram na infância. Dezenove anos mais tarde, ele sofreu uma lesão vascular cerebral por excesso de trabalho e ficou parcialmente paralisado.

Quando estourou a guerra franco-prussiana em 1870, o único filho de Pasteur, Jean Batiste, foi convocado para servir seu país e envolveu-se na catastrófica derrota do exército francês em Metz. Depois de semanas sem receber notícias do rapaz, Pasteur deixou seu agora famoso laboratório em Paris e foi procurá-lo. A despeito de sua paralisia parcial, Pasteur seguiu mancando na direção norte à procura do filho. As estradas estavam congestionadas com soldados derrotados e errantes. A jornada foi árdua, mas depois de muitas perguntas Pasteur localizou a unidade de seu filho. Um oficial contou-lhe então a desanimadora notícia: de um grupamento original de 1.200 homens, menos de 300 haviam sobrevivido.

Mas Pasteur não desistiu. Continuou avançando por estradas cheias de cavalos mortos e homens sofrendo de frio enregelante e gangrena. Chegou finalmente ao local onde um soldado estava enrolado até os olhos num sobretudo pesado; mal podia ser reconhecido em seu estado de definhamento. Era Jean Batiste! Pai e filho, comovidos demais para falar, abraçaram-se em silêncio.

Na guerra entre as forças do bem e do mal, muito filho, muita filha já sofreu derrotas catastróficas nas mãos do inimigo das almas. E muitos, como o filho de Pasteur, mal podem ser reconhecidos por causa dos estragos do pecado. Alguns cristãos professos, até mesmo pais, talvez creiam que esses filhos errantes se encontrem além da esperança. Mas mesmo que eles se esqueçam (ver Isaías 49:15), o Bom Pastor e os pais fiéis nunca se esquecerão, mesmo que por vezes tenham de administrar um amor severo.

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

Não Busque Ser Livre da Pornografia, Busque Cristo



James, do site cristão I'll be Honest, mostra que, pela palavra, não devemos procurar nos libertarmos da pornografia, mas buscarmos a Cristo, que, por consequência disso, nós livrará e perdoará todo pecado. Percebemos isto quando lemos a Bíblia e observamos que, no Novo Testamento, pelas palavras de Jesus, o Senhor nos instrui a crer (João 5:24; 6:35 e 47; 3:16 e 18; 7:38; 11:25; 14:12; Romanos 4:5; Atos 10:43; 16:31; 1 João 5:1 e 5), o Senhor exemplificou o caminho da salvação em uma só palavra: crer. Porquê? Porque aquele que crê, depois que crê, jamais fará o mal, jamais pecará, porque ama e conhece a Deus, e jamais, uma vez sequer, ousará pecar contra quem ele ama - e por quem é amado. Aquele que crê é liberto de todo pecado, pois aquele que passa a crer recebe o arrependimento completo e total, o que resulta na sua santificação. Aquele que o busca e o acha, crê! - A libertação de qualquer pecado não vem de olhar para este pecado e dizer "é melhor que eu vença isso". A libertação vem de descobrir o que é mais belo, que é Cristo; e a medida que você O vê, e O vê como o melhor, então você naturalmente irá vencer o pecado. Creia e você será liberto, seja do pecado ou de algum mal que o aflige. Basta que você busque-o.

Por Gabriel Ferraz

terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

Ele Promete Dar a Você um Novo Coração

 "E dar-vos-ei um coração novo, e porei dentro de vós um espírito novo; e tirarei da vossa carne o coração de pedra, e vos darei um coração de carne."
Ezequiel 36:26

Deus não disse que ele apenas iria fazer um reparo no seu coração velho e sujo. Ele diz que ele vai realizar um transplante completo, tirando o velho coração e dando a você um outro novinho em folha.

Os médicos chegaram à conclusão de que o coração de algumas pessoas não pode mais sofrer reparos, e a única maneira de elas sobreviverem é recebendo um transplante de coração. Isso também é verdade espiritualmente; a única maneira para que vivamos uma vida do jeito que Deus quer que a vivamos é ganhando um novo começo. Ele troca o velho pelo novo. Quando Deus nos faz esse transplante nós vemos as coisas de um jeito totalmente diferente do que as víamos antes. Não é apenas uma atitude diferente, mas é uma vida nova em folha! Se Deus tem uma vida totalmente nova e maravilhosa para cada um de nós, não precisamos parar para um serviço de reparo.
Da Bíblia Sagrada na Linguagem de Hoje - Edição para Jovens
Sociedade Bíblica do Brasil

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

Frequentar a Igreja

"Não deixemos de congregar-nos, como é costume de alguns; antes, façamos admoestações, e tanto mais quanto vedes que o dia se aproxima."
Hebreus 10:25

Michael Faraday, grande cientista britânico que fez várias descobertas importantes no campo do magnetismo, era um cristão sincero que achava mais importante assistir aos cultos de sua igreja do que assistir a qualquer outra reunião. Em uma dessas "outras" reuniões, ele manteve o auditório boquiaberto com a demonstração das propriedades do ímã. Encerrou sua palestra com uma experiência tão inédita, fascinante e impressionante, que por algum tempo o salão reverberou com entusiásticos aplausos.

Quando as palmas diminuíram, o Príncipe de Gales se pôs em pé e propôs um brinde a Faraday, mas o grande homem não estava mais ali para recebê-lo. Finalmente, um dos assistentes de Faraday levantou-se e explicou que o físico havia saído para um culto de oração numa pequena igreja (uma congregação que não contava com mais de 20 membros), onde Faraday era ancião.

Que exemplo de assiduidade às reuniões de oração! Que testemunho em favor de Cristo!

Tem-se declarado que a saúde espiritual de uma igreja pode ser acuradamente avaliada com base na freqüência aos cultos de oração. Se isso é verdade, igrejas com pouca assistência estão às portas da morte espiritual, e outras que já desistiram completamente dessas reuniões podem ter morrido.
Que pode você fazer, que posso eu fazer para despertar os cristãos dessa letargia mortal? Que podemos nós fazer para consolidar "o resto que estava para morrer"? (Apocalipse 3:2)

Nosso verso para meditação sugere que o maior motivo para a fiel assistência aos cultos da igreja é o fato de que "o dia" da volta de Cristo "está agora mais perto do que quando no princípio cremos. Vai alta a noite e vem chegando o dia" (Romanos 13:11 e 12). Os sinais dos tempos nos confirmam isso!

Em vista da proximidade da volta de Cristo e da admoestação para que sejamos fiéis na freqüência à igreja, quão incoerente seria de nossa parte professar a crença no segundo advento enquanto nos descuidamos da assistência aos cultos!

terça-feira, 24 de janeiro de 2012

Que Deus Seja Seu Ouro

"Se deixar de lado seu amor pelo dinheiro e jogar fora seu ouro fino ganho desonestamente, então o próprio Deus, o Todo-poderoso, será a sua riqueza, o seu ouro e a sua prata."
Jó 22:24-25

O Estado de Idaho, onde moro, é popularmente conhecido como o "Estado-Gema" por causa de seus ricos depósitos minerais. Em 1860, o capitão E. D. Pierce descobriu ouro no ribeiro Orofino. A notícia da rica descoberta desencadeou uma corrida do ouro para a região, que na época fazia parte do Território do Oregon. Dois anos mais tarde, descobriu-se mais ouro na área que agora se chama Vale do Tesouro. 

Subseqüentemente, uma forma curiosa de extrair ouro foi usada com sucesso ao longo do rio Snake. Sabia-se por muito tempo que grandes quantidades de partículas de ouro desciam pelos rios e ribeiros, vindas de montanhas que produziam o minério, e eram depositadas no cascalho e no leito de várias correntes d'água no Estado. Um homem empreendedor ligou uns tubos de sucção, acionados por máquinas a vapor, a barcas que atravessavam para lá e para cá essas correntes. Os tubos puxavam cascalho e areia para o convés. O material então corria por uma calha, e o cascalho aurífero era recolhido sobre mesas cobertas com bacias de cobre. Ali o precioso minério era amalgamado com mercúrio e posteriormente recuperado. As pedras brutas e cascalhos maiores eram jogados de volta para o rio.

Os homens têm percorrido distâncias extraordinárias para conseguir ouro, sacrificando por vezes a própria vida nessa busca. O ouro, ou aquilo que ele representa - riqueza material - exerce um tipo de fascínio hipnótico sobre muitas mentes, levando-as a agir de modo irracional. Dois jovens estavam ocupados na prospecção perto de Placerville. Eram irmãos carnais e sempre se haviam dado bem, mas um dia ambos viram uma pepita de ouro ao mesmo tempo. Os dois correram para pegá-la. Ocorreu uma luta corporal e acabaram matando-se um ao outro. 

Não vale a pena perder a vida por nenhum bem deste mundo - ainda mais a vida eterna. Se as riquezas materiais estiverem exercendo uma fascinação desordenada sobre você, atente para o conselho de Elifaz: jogue-as entre as pedras dos ribeiros e permita que Deus seja o seu ouro.